SOU NETA DE D. DINIS: LEITURA E INTERPRETAÇÃO DA VOZ FEMININA DAS CANTIGAS MEDIEVAIS NA OBRA DE NATÁLIA CORREIA

Maria Isabel Morán Cabanas

Resumo


Foi nos finais da década de 60 e
inícios da seguinte que Natália Correia
iniciou um empenhado e ousado programa
de divulgação da lírica galego-portuguesa,
cujas linhas e estratégias são identificadas
e analisadas no presente estudo. Para além
da elaboração de antologias de poesia
medieval (com propostas de versões
atualizadas e introduções que focam
sobretudo as representações da mulher sob
um prisma ginecocrático), destaca-se a
inclusão de cantigas noutras compilações
que dedicou a diferentes períodos, sempre
com vistas a mostrar continuidades e
rupturas com os primórdios da literatura
em língua vernácula. Dessa campanha
fizeram parte também as dedicatórias
rimadas e epígrafes de versos dos
Cancioneiros em diversas obras da sua
autoria e, naturalmente, a prática
neotrovadoresca, cujo ensaio culminou nas
Cantigas de amigo (1990). Aliás, tal zelo
projetou-se nas gravações das suas
próprias declamações com célebres poetas

e cantores (entre eles, Amália Rodrigues ou
Vinicius de Moraes).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais