O MONÓLOGO DE INÊS DE CASTRO NO CANCIONEIRO GERAL DE GARCIA DE RESENDE. GESTO DE TEATRALIDADE

Geraldo Augusto Fernandes

Resumo


Garcia de Resende, ao invocar
Inês de Castro a contar “o gualardam / que
do amor recebeo”, mostra um dos
elementos da teatralidade antecedentes ao
teatro português. Essa teatralidade
demonstra como a Poética do tempo se
ligava cada vez mais à Retórica antiga. No
poema 861, “Trovas que Garcia de Resende
fez à morte de Dona Ines de Castro, que El-
Rei Dom Afonso, o Quarto de Portugal,
matou em Coimbra, por o Príncipe Dom
Pedro, seu filho, a ter como mulher e polo
bem que lhe queria nam queria casar,
enderençadas às damas”, Resende vale-se
do discurso epidítico - discurso elogioso
dirigido a um espectador acerca da virtude
da louvada Inês de Castro. Neste artigo,
proponho analisar as Trovas como
representativas deste discurso e como ele
congrega elementos que compõem a
referida teatralidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais