A ORIGINAL PRESENÇA DE ELEMENTOS MEDIEVAIS NALGUNS TEXTOS DE ÁLVARO CUNQUEIRO

César Morán Fraga

Resumo


A praxe intertextual de Álvaro Cuqueiro (1911-1981) foi uma constante
que se pode observar em toda a obra literária do escritor galego, quer na poesia, quer na ficção narrativa, no teatro ou nos seus inúmeros artigos jornalísticos. É por isso que para ele mergulhar no que se chamou “neotrovadorismo” estava muito em sintonia com a sua sensibilidade
estética e criadora. Quando nas primeiras décadas do século XX se conhecem na
Galiza os Cancioneiros galego-portugueses, Cunqueiro será um dos primeiros em fazer poesia nova com base na descoberta medieval. Porém, longe de qualquer mimetismo, o poeta mostra uma absoluta liberdade a respeito da fonte medieval, atingindo graus de originalidade certamente admiráveis. E ainda que a poesia topicamente neotrovadoresca se concentre em dois poemários de 1933 e 1950, tal proceder é facilmente detetável desde os seus inícios até o seu último livro publicado em 1980.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais