TENSIONANDO A SOCIEDADE MEDIEVAL. CONFLITOS SOCIAIS NA ALTA IDADE MÉDIA (SÉCULOS V-X)

Mário Jorge da Motta Bastos

Resumo


Dentre as temáticas mais candentes da literatura especializada universal situa-se, e de longa data, o problema histórico (e historiográfico!) da transição da Antiguidade ao Medievo. Em que pese a superação, nas últimas décadas, da perspectiva catastrófica que fazia enfermar as análises pioneiras do contexto em questão, foram também expurgadas das abordagens correntes o reconhecimento da centralidade das manifestações das contradições e dos conflitos sociais como motores fundamentais da transformação social no contexto em questão. A transição da Antiguidade à Idade Média foi pautada por manifestações de antagonismo social diversas, o que nos permite considerar que o âmbito dos confrontos era, então, o da própria sociedade. Isto posto, pretendemos, neste artigo, estabelecer uma primeira tentativa de tipologia dos conflitos sociais correntes no período, visando o ulterior estudo sistemático de suas manifestações.


Texto completo:

PDF

Referências


Bibliografia Citada:

ANDERSON, Perry. Passagens da Antigüidade ao Feudalismo. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BASTOS, Mário Jorge da Motta. Assim na terra como no céu... Paganismo e Cristianismo na Alta Idade Média Ibérica (séculos IV-VIII). São Paulo: EDUSP, no prelo.

BASTOS, Mario Jorge da Motta e PACHÁ, Paulo Henrique de Carvalho. “Por uma negação afirmativa do ofício do Medievalista!”, In: BOVO, Claudia Regina Bovo et al. (ed.). Anais Eletrônicos do IX Encontro Internacional de Estudos Medievais: O oficio do Medievalista. Cuiabá: ABREM, 2011, pp.506-515. (Disponível em http://www.abrem.org.br/biblioteca.php).

BERNARDO, João. Poder e Dinheiro. Do Poder Pessoal ao Estado Impessoal no Regime Senhorial, Séculos V-XV. 3 vols. Porto: Afrontamento, 1995, 1997, 2002.

________. “Propostas para uma Metodologia da História”. História Revista, vol. 11, n. 2, abril, 2007.

BERTRAND, Michèle. Le statut de la religion chez Marx et Engels. Paris: Editions Sociales, 1979.

BOIS, Guy. La mutation de l'an mil: Lournand, village mâconnais de l'Antiquité au féodalisme. Paris: Fayard, 1989.

HILTON, Rodney. Bond Men Made Free: Medieval Peasant Movements and the English Rising of 1381. London: Routledge, 1988.

MARX, Karl. Grundrisse. São Paulo, Boitempo, 2011.

________. On Religion. Moscow: Progress Publishers, 1972.

MARX, Karl & ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo, Boitempo, 2007.

PASTOR, Reyna. Resistencias y luchas campesinas en la época del crecimiento y consolidación de la formación feudal. Castilla y León, siglos X-XIII. Madrid: Siglo XXI, 1980.

SCOTT, James C. Weapons of the weak: everyday forms of resistance. New Haven and London: Yale University Press, 1985.

THOMPSON, Edward P. “Folclore, antropologia e história social”. In: NEGRO, Antonio Luigi & SILVA, Sérgio (eds.). As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas: Editora da Unicamp, 2001.

TOSCANO, Alberto. “Beyond Abstraction: Marx and the Critique of the Critique of Religion”. Historical Materialism. Leiden, 18, 2010, pp. 3-29.

WICKHAM, Chris. “Espacio y sociedad en los conflictos campesinos en la Alta Edad Media”, In: RODRÍGUEZ, Ana (ed.). El lugar del campesino. En torno a la obra de Reyna Pastor. València: Universitat de València-CSIC, 2007, pp. 33-60.

________. “The Other Transition: From the Ancient World to Feudalism”, Past and Present, n. 103, May, 1984, pp. 3-36.

WOOD, Ellen M. Democracia contra Capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais