APROPRIAÇÕES DO PENSAMENTO MEDIEVAL NO BRASIL NOS SÉCULOS XX E XXI: UM ESTUDO DE CASO SOBRE O NEOTOMISMO

Rafael Bosch

Resumo


Este artigo busca discutir não somente como medievalistas brasileiros de orientação neotomista entenderam a atualidade do pensamento medieval, mas também como analisaram e se apropriaram de elementos da obra de Tomás de Aquino com o intuito de apresentá-los, de maneira ahistórica, como uma alternativa aos projetos políticos então em disputa. A presente reflexão se apresenta como um panorama amplo, tomando como seu ponto de partida a fundação da primeira faculdade de filosofia do Brasil em 1908, chegando até os princípios do século XXI. Essa análise perpassa as reflexões de Charles Sentroul, Leonardo Van Acker, Leonel Franca, Henrique Claudio de Lima Vaz e Ivanaldo Santos. Para tanto, parte-se dos preceitos da história da história da filosofia, a fim de ressaltar como determinados contextos sociopolíticos influenciaram a interpretação do pensamento medieval.


Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, Fernando Arruda. Tomismo no Brasil. São Paulo: Paulus, 1998.

COFFEY, Peter. "Preface to the English Edition" in MERCIER, Désiré-Joseph. A Manual of Modern Scholastic Philosophy. Londres: Kegan Paul, Trench, Trubner & Co., ltd., 1916, p. I – X.

COUSIN, Victor. Fragments Philosophiques. Philosophie Scholastique. Paris : Ladrange Libraries, 1840.

CULLETON, Alfredo. “A filosofia medieval no Brasil e no Rio Grande do Sul” in Revista do Corpo Discente do Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS. N. 02, 2009, p. 213 – 222.

DEVOTO, Fernando; FAUSTO, Boris. Argentina-Brasil: 1850-2000. Un ensayo de historia comparada. Buenos Aires: Editorial Sudamericana, 2004.

FALCONIERI. Tommaso di Carpegna. Médiéval et militant. Penser le contemporain à travers le Moyen Âge. Paris : Publications de la Sorbonne, 2015.

FAUSTINO, João; CLEMENTE; Elvo. História da PUCRS-I. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

FRANCA, Leonel. A crise do Mundo Moderno. Rio de Janeiro: Livraria AGIR Editora, 1951.

FRANCA, Leonel. "Ateísmo militante” in Idem. O tomismo e as ideologias modernas. Fundão: Cristo e Livros, 2020, p. 43 – 76.

FRANCA, Leonel. "O positivismo, filosofia sem princípios” in Idem. O tomismo e as ideologias modernas. Fundão: Cristo e Livros, 2020, p. 143 – 164.

GEARY, Patrick J. The Myth of Nations. The Medieval Origins of Europe. Princenton: Princenton University Press, 2002.

GILSON, Étienne. O filósofo e a teologia. São Paulo: Paulus, 2009.

GILSON, Étienne (Ed.). The Church Speaks to the Modern World: The Social Teachings of Leo XIII. New York: Image Books, 1954.

HEGEL, Georg W. F. Lectures on the History of Philosophy. Vol. III. Londres: Kegan Paul, Trench, Trübner & Co., Ltd., 1896.

HOBSBAWM, Eric J. A era dos impérios 1875 – 1914. São Paulo, Paz e Terra, 2015.

INGLIS, John. Spheres of Philosophical Inquiry and the Historiography of Medieval Philosophy. Leiden; Boston; Köln: Brill, 1998.

KÖNIG-PRALONG, Catherine. La colonie philosophique. Écrire l’histoire de la philosophie aux XVIIIe et XIXe siècles. Paris: Éditions EHESS, 2019.

KÖNIG-PRALONG, Catherine. Médiévisme philosophique et raison moderne. Paris: Vrin, 2016.

LEÃO XIII. Aeterni Patris. Vaticano, 1878, Acessado em: https://w2.vatican.va/content/leo-xiii/la/encyclicals/documents/hf_l-xiii_enc_04081879_aeterni-patris.html ; acesso em 31 de maio de 2021.

LIMA, Alceu Amoroso. "A reação espiritualista" in Leonel Franca (1893/1948) Bibliografia e Estudos Críticos Acessado em: http://www.cdpb.org.br/antigo/leonel_franca_final.pdf; em 31 de maio de 2021, p. 9 – 19.

LIMA VAZ, Claudio Henrique de. "O pensamento filosófico no Brasil" in Revista Portuguesa de Filosofia, 1961, T. 17, Fasc. 3.4, p. 235 – 273.

LIMA VAZ, Henrique Claudio de. “Presença de Tomás de Aquino no Horizonte Filosófico do Século XXI" in Síntese Nova Fase, v. 25, n. 80, 1998, p. 19 – 42.

LUIZ DE SOUZA, Rogério; FABRICIO, Edison Lucas. "Neotomismo e política: Leonel Franca e o debate sobre modernidade e totalitarismo" in Revista Brasileira de História das Religiões. N. 25, 2016, p. 39 – 61.

MacDOWEEL, João A. "O pensamento do Padre Lima Vaz no contexto da Filosofia Contemporânea no Brasil" in Revista Portuguesa de Filosofia. T. 67, Fasc. 2, 2011, p. 231 – 253.

MARENBON, John. “"Why we shouldn't study Aquinas". Maynooth: Maynooth University, 2017. Disponível em: https://www.academia.edu/32902867/Why_we_shouldnt_study_Aquinas Acessado em: 31 de maio de 2021.

MICHEL, Florian. Étienne Gilson. Une biographie intellectuelle et politique. Paris : Vrin,2018.

NOBRE, Marcos e REGO, José Márcio. Conversas com Filósofos Brasileiros. São Paulo, Editora 34, 2001.

RIBEIRO DA SILVA, Ana Paula Barcelos. Diálogos sobre a escrita da história: Brasil e Argentina (1910-1940). Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2011.

SANTOS, Ivanaldo. "Tomás de Aquino no ambiente filosófico do século XXI" in SANTOS, Ivanaldo (Org.). Estudos Tomistas para o Século XXI. João Pessoa: Ideia, 2013, p. 6 – 21.

SENTROUL, Charles. "Le socialisme et la question agraire" in Revue Philosophique de Louvain, 1896, n. 9, p. 70-83.

SCHLEGEL, Friedrich. Philosophische Vorlesungen. Bonn: Weber, 1836.

TORRES, João Camilo de Oliveira. O Positivismo no Brasil. Brasília: Edições Câmara, 2018.

VAN ACKER, Leonardo. “Estará superado o tomismo?” in Idem. O tomismo e o pensamento contemporâneo. São Paulo: Convívio, p. 46 – 69.

VAN ACKER, Leonardo. “Introdução à metafísica tomista” in Idem. O tomismo e o pensamento contemporâneo. São Paulo: Convívio, 1983, p. 22 – 33.

VAN ACKER, Leonardo. “O espírito da filosofia medieval” in Idem. O tomismo e o pensamento contemporâneo. São Paulo: Convívio, 1983, p. 3 – 21.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais