A Oração à Assembléia dos Santos do imperador Constantino e a construção historiográfica do imperador cristão

Robson Murilo Grando Della Torre

Resumo


O presente artigo visa problematizar a construção de certa tradição de leitura documental que se impôs na historiografia sobre a Oração à assembléia dos santos, um discurso do imperador romano Constantino I (306-337) que freqüentemente é utilizado como fonte para o estudo tanto da política imperial deste príncipe como das relações entre Igreja e Império no início do século IV. Pretende-se aqui argumentar que a interpretação usualmente feita deste texto pelos historiadores desde o século XIX tem íntima relação com o próprio modo como ele foi editado e contribuiu, de forma decisiva, para a consolidação do próprio modo como este documento é entendido como fonte atualmente. A proposta deste artigo é apontar alternativas para o estudo deste texto que levem em conta não apenas seu contexto de produção, mas também sua transmissão através dos manuscritos medievais. Como se tentará argumentar aqui, o próprio modo como a Oração aparece nos códices medievais, associada à Vida de Constantino do bispo palestino Eusébio de Cesaréia, pode nos revelar muito sobre a maneira como podemos compreender este discurso.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2012.v13.n1.01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais - Av. Antônio Carlos, 6627 (UFMG/Departamento de História). Bairro: Pampulha. Belo Horizonte-MG CEP 31270-901