DISCURSOS SOBRE A DIVINA COMÉDIA OU TEMPORALIZAÇÕES DE DANTE ALIGHIERI? A CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE IDADE MÉDIA E UMA ANÁLISE DECOLONIAL POR MEIO DA TEORIA DO MEDIEVALISMO

Maria Eugenia Bertarelli, Clínio de Oliveira Amaral

Resumo


Motivados pelas homenagens ao 7º centenário de morte de Dante Alighieri, refletimos acerca da produção de um discurso sobre o poeta que mobiliza, no contexto do humanismo italiano, uma nova percepção do tempo e da história. Por meio da análise de biografias e comentários sobre a Divina Comédia escritos por Giovanni Boccaccio, por Francesco Petrarca e por Leonardo Bruni, demonstramos como Dante foi temporalizado – entendido como índice de um novo tempo que se estabelece entre os séculos XIV e XV. Este processo estaria na origem da produção do conceito de idade média, estudado por intermédio de uma estratégia de periodização, como a antítese do mundo moderno. Baseados na teoria do medievalismo, observamos como a idade média não existe sem uma política de periodização com implicação nas apropriações ideológicas que foram feitas do período a partir do século XIX. A forma como a história foi temporalizada contribuiu para o discurso segundo o qual as sociedades têm diferentes temporalidades e deveriam atrelar-se ao tempo do Ocidente.


Texto completo:

PDF

Referências


ALTSCHUL, Nadia R.. Politics of temporalization: Medievalism and Orientalism in Nineteenth-Century South America. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 2020.

AUBERT, Eduardo Henrik. Vidas de Dante: escritos biográficos dos séculos XIV e XV. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2011.

BARTOLI, Lorenzo. Bruni e Boccacio biografia di Dante: appunti filologici. Madrid: Universidad Autónoma de Madrid, 2003.

BOCCACCIO, Giovani. Vida de Dante. Madrid: Alianza Editorial, 1993.

BURKHARDT, Jacob. A cultura do renascimento na Itália. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

GREENBLATT, Stephen. A virada: o nascimento do mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

GILSON, Simon A. Dante and Renaissance Florence. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

HAMILTON, William B. Francesco Petrarca and the parameters of historical research Religions, 2012.

MOMMSEN, Theodore. Petrarch’s conception of the Dark Ages. Speculum, vol. 17, nº 2, 1942, p. 226- 242

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto/Ed. PUC/Rio, 2006.

UTZ, Richard. Don’t Be Snobs, Medievalists! Disponível em: < https://www.chronicle.com/article/dont-be-snobs-medievalists/. Acessado em 20 de setembro de 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais