JOÃO LOBEIRA (PORTUGUÊS, SÉCULO XIII), CECÍLIA MEIRELES (BRASILEIRA, SÉCULO XX), UM POEMA: NOS MEANDROS DA ANÁLISE DE TEXTO COMPARATIVA

Lênia Márcia Mongelli

Resumo


O que terá levado a poeta Cecília Meireles (1901-1964) a interessar-se pela cantiga medieval conhecida por Leonoreta? Como há duas versões dela, uma em galego-português, atribuída ao trovador João Lobeira (século XIII), e outra, em castelhano, inserida no livro de cavalarias Amadis de Gaula (1508), qual das duas versões terá preferido a poeta? E por quê? Ou serviu-se de ambas para (re)criar o seu Amor em Leonoreta (1952)? Como estas perguntas envolvem três diferentes textos, escritos em épocas distintas e com propósitos parecidos, porém diversos, as respostas só podem provir de uma análise comparativa. Portanto, o intuito primeiro deste texto é didático: examinar, tecnicamente, os passos a serem dados para a melhor e mais eficaz realização da tarefa comparatista.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais