O LIBER IURATUS: A MAGIA SOB O TESTEMUNHO DOS PERSEGUIDOS

Odir Mauro da Cunha Fontoura

Resumo


Este artigo tem por objetivo tratar da magia na Idade Média a partir do Liber iuratus, um manual do começo do século XIV que pretende defender e legitimar a arte mágica (artem magicam). Será analisado sobretudo o Prólogo deste tratado: por um lado, neste texto é construída uma relação de alteridade dos praticantes dessa arte em relação à instituição da Igreja (ecclesia), que é retratada como influenciada pelos demônios e injusta na sua perseguição aos magos. Por outro, o Prólogo também aponta para uma série de normas ou estratégias que deveriam ser assumidas para defender a magia da perseguição. A conclusão deste estudo aponta para a possibilidade de trabalhar o conceito de magia no medievo como um conceito em disputa, que foi instrumentalizado por diferentes agentes a fim de construir diferentes legitimidades e diferentes ortodoxias no âmbito da expressão religiosa ou da teologia; mas também instrumentalizado em um sentido moral e político.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais