Todros Abulafia: um poeta judeu na corte do rei sábio

Saul Kirschbaum

Resumo


A vida dos judeus na Idade Média ibérica costuma ser dividida em três períodos: o do Califado de Córdoba, o das taifas, e o sob domínio cristão. No período das taifas, conhecido como Idade de Ouro, a atividade cultural atingiu seu ápice.

A época sob domínio cristão, cerca de 1200 até a expulsão em 1492, porém, é considerada o período pós-clássico; às vezes é chamada de Idade de Prata, pois, para muitos críticos, é um período de epigonismo. Por esse motivo, esta produção literária é pouco estudada.

Para outros, porém, alguns dos principais poetas desta época teriam ultrapassado os padrões árabes, pois eram fluentes no idioma romance de Castela, além de conhecedores da literatura cristã e familiarizados com as obras dos troubadours; teriam dado origem a uma poética bastante original.

Este artigo aborda algumas aproximações entre a obra dos poetas judeus e a poética em voga entre os cristãos, com ênfase no gênero Cantigas de Escárnio e em um de seus expoentes, o poeta Todros Abulafia.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2011.V12.N1.018

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais