Uma biografia para Gil Vicente

Sheila Hue

Resumo


O início do século XIX marca uma virada na difusão e apreciação da obra de Gil Vicente, com os trabalhos de F. Boutewerk e Ferdinand Denis sobre a literatura portuguesa.  Em 1834, os exilados, liberais, J. V. Barreto Feio e José Gomes Monteiro publicam a terceira edição da Copilaçam, em três volumes, em Hamburgo, na qual figura um ensaio biográfico. Quatro anos mais tarde, é encenado em Lisboa, com grande sucesso, Um auto de Gil Vicente, de Almeida Garrettt. A escrita biográfica no século XIX oscila entre, de um lado, biografia e narrativa ficcional e, de outro, biografia pautada na pesquisa histórica. A construção biográfica de Gil Vicente se dá na tensão entre esses dois polos, respondendo aos posicionamentos políticos ou literários de seus agentes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais