Gil Vicente – Humanista?

Francisco Maciel Silveira

Resumo


Discute-se nessa intervenção o fato de os manuais de história literária portuguesa considerarem Gil Vicente humanista, sobretudo, o que me sempre intrigou foi Gil Vicente como Humanista. Ainda mais considerando que escreveu uma Exortação à Guerra, os autos da Barca do Inferno, do Purgatório e da Glória. Em seguida a intervenção discutirá A Farsa de Inês Pereira, sob o título Inês a que caiu do cavalo e deu com os burros n’água. Construída com base no dito popular mais quero asno que me leve que cavalo que me derrube, a peça será construída sobre 3 elementos: eu, experiência, sociedade, defendendo a imobilidade da estrutura medieval da sociedade em Portugal do século XVI.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais