A Casa e o Patrimônio da Rainha de Portugal D. Filipa de Lencastre: um ponto de partida para o conhecimento da casa das rainhas na Idade Média

Manuela Santos Silva

Resumo


Desde o momento do seu matrimónio, as rainhas de Portugal
gozavam de rendas próprias que obtinham da aplicação de jurisdição sobre determinadas vilas que pertenciam ao património da coroa. Esses rendimentos sustentavam o guardaroupa da rainha e sobretudo a sua casa, isto é, o conjunto de senhoras e de oficiais que cada rainha juntava em sua volta para o seu serviço e companhia. Ao casar com a filha primogénita do duque inglês de Lancaster, João I, rei de Portugal, preocupou-se de imediato em montar uma casa à sua rainha, dando-lhe para isso meios adequados. Por mérito do rei e da rainha ou da sua administração, o seu reinado significou um período de reformas no funcionamento da casa das rainhas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2011.V11.N2.11

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais - Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis (UFF/Instituto de História). Bairro: São Domingos. Niterói-RJ CEP: 24210-201