As leis bárbaras: objeto da História e da Historiografia

Sylvie Joye

Resumo


As chamadas leis bárbaras estão entre as fontes mais utilizadas, mas também entre as mais discutidas para o estudo da primeira Alta Idade Média. Nas últimas décadas, um trabalho importante tem sido feito para tentar repensar os contextos e as motivações de escrita desses textos.  Os outros tipos de fontes não apresentam, talvez, o testemunho direto ou sistemático da aplicação dessas leis na precisão de delitos e das penas descritas, mas esse talvez não seja o objetivo primeiro do registro escrito das leis. A questão central se torna cada vez mais a da escrita das leis, e não somente da representação da autoridade, da ideia de uma transmissão de direitos antigos, da influência do direito romano. Essas são escolhas técnicas efetuadas no momento dessa escrita, relacionadas à literacy ou à qualificação dos delitos, bens, pessoas, que podem ainda nos ensinar muito sobre os reinos pós romanos. Tentarei, assim, esboçar, ao mesmo tempo, um retrato desses textos e da historiografia que lhes é pertinente, para tentar esclarecer a forma como os historiadores modernos e como os legisladores antigos se ampararam dos documentos normativos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2016.v17.n1.03

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais