DA PECATOLOGIA DOS GOVERNANTES À NECESSIDADE DO TIRANICÍDIO: OS VÍCIOS MONÁRQUICOS DE ÁLVARO PELAYO À PARIDE DEL POZZO (SÉCULOS XIV-XV)

Patrick Gilli

Resumo


O presente artigo visa discutir e analisar a tipologia dos vícios e excessos dos homens de poder, apresentados por Álvaro Pelayo (1275/80-1349), em seus trabalhos De statu et planctu Ecclesiae (1330-1332) e Speculum regnum (1341-1344), e Paride del Pozzo (1411/13-1493), em sua obra De syndicatu (1473-1485). Para tal, faremos uma análise comparativa entre a pecatologia apresentada nas três obras a fim de compreender como a fenomenologia desses excessos pode ser indicativo do substrato da ciência política dos séculos XIV e XV.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2015.v16.n2.06

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais