Barbárie e Heresia: um perspectiva religiosa para o estudo da História das Guerras - século VI

Renato Viana Boy

Resumo


História das Guerras, de Procópio de Cesareia (490-562), narra as guerras promovidas pelo imperador bizantino Justiniano, visando à restauração dos antigos domínios imperiais no Mediterrâneo. Nessas narrativas, o historiador apresenta fundamentos ideológicos que justificam as ações militares do império. Entre eles, está o fato de os antigos territórios romanos estarem então sob domínio bárbaro e estes romperem com uma unidade romana. Um elemento fundamental na constituição dessa unidade estava no pertencimento da população à religião cristã, livre de práticas heréticas.
Assim, a luta contra os bárbaros apresentava também um aspecto de defesa do cristianismo contra outros tipos de culto, em especial, o arianismo. A proposta aqui é analisar como Procópio articula uma aproximação entre os conceitos de barbarie e heresia na História das Guerras, justificando as
campanhas de Justiniano como o ataque de um Império cristão a populações bárbaras e heréticas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2011.V11.N2.02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais