A MORTE E OS MORTOS EM VITAE FRATRUM DE GERARDO DE FRACHET (1256-1260)

Aléssio Alonso Alves

Resumo


Concebida em um período conflituoso entre frades mendicantes e clérigos seculares em Paris, a hagiografia denominada Vitae Fratrum, de autoria do frade Gerardo de Frachet, trata de toda a Ordem dos Frades Pregadores e tem como escopo a autoafirmação da mesma como sagrada. Presentes de forma maciça nas histórias exemplares da obra, a morte e os mortos desempenharam um papel importante nessa autoapologia e, portanto, é objetivo deste artigo analisar por que e como estes tópicos foram mobilizados em função desse intuito.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2014.v15.n1.05

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais - Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis (UFF/Instituto de História). Bairro: São Domingos. Niterói-RJ CEP: 24210-201