Aristocracia, governo e sociedade: as intervenções do mestre de Cristo nas disputas entre o Cabido da Sé de Coimbra e os comendadores de Soure e Pombal (1330 – c.1350)

Fabiano Fernandes

Resumo


As décadas de 1330 e 1350 foram fundamentais para a consolidação política e institucional da Ordem de Cristo. Tal processo passava pelo estreitamento dos laços com o poder real, mas também pela estruturação hierárquica da Ordem, apenas delineada juridicamente pelas ordenações de 1321 e 1326. Na prática, em algumas localidades, os comendadores condu-ziam certos assuntos com grande margem de autonomia, tal como a complexa questão dos direitos eclesiásticos relativos às igrejas de Soure e seu entorno. As questões eclesiásticas entre co-mendadores e cônegos de Coimbra nas décadas de 1320 e 1330 em certa medida perpetuavam uma dinâmica local de conflitos que tem ante-cedentes na década de 1290, época em que a Or-dem do Templo intensificou seus embates com os cônegos de Coimbra. Ao herdarem mais tardia-mente bens e privilégios da extinta Ordem do Templo, os freires de Cristo receberam em com-junto com os bens e privilégios alguns dos proble-mas relativos à jurisdição eclesiástica e ao paga-mento de direitos eclesiásticos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2014.v14.n2.08

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais