Do Belo: a estética augustiniana vista à luz das Enéadas

Ana Rita de Almeida Araújo Francisco Ferreira

Resumo


Este artigo aborda a
influência e a relevância que Plotino teve na estética augustiniana. Na primeira parte, examinamos de que modo esse legado é descrito pelo Bispo de Hipona nas suas obras e afloramos o debate sobre a identificação dos platonicorum libri que Santo Agostinho afirma ter lido. Após uma introdução sumária à estética de Plotino, com base nas Enéadas I, 6 [1] e V, 8 [31], descrevemos, na última parte do artigo, as diferenças fundamentais e as semelhanças mais significativas entre o pensamento estético do filósofo egípcio e o do padre africano. Apesar de ser possível encontrar passagens ambivalentes nas obras de ambos os autores, Santo Agostinho faz uma avaliação mais positiva da beleza criada e tem uma atitude mais complacente em relação ao corpo e ao seu papel na beleza concertada do universo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21572/2177-7306.2011.v11.n1.02

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Signum Revista da ABREM (ISSN 2177-7306) - Associação Brasileira de Estudos Medievais